Florida Review Magazine

Magazine, Brasileiros nos EUA, Florida, Moda, Beleza, Imóveis, Turismo, Artes

Opinião

Desinformação e Oportunidade

Por Evandro Fascina

evandro@kravitzlaw.com

www.usaglobalinstitute.com

A característica que mais me surpreende nas entrevistas com nossos clientes é a quantidade de informações distorcidas, já absorvidas por eles, através das mídias sociais, e outros, que ouviram que deu certo para um conhecido do amigo. É um verdadeiro diz que me disse, combinado a uma enxurrada de informações errôneas da internet, com o intuito de “vender” vistos, mas com consequências que podem ser desastrosas.

É importante esclarecer que só os advogados licenciados pela American BAR Association (equivalente à Ordem dos Advogados do Brasil – OAB), que devem definir a estratégia dos pleitos imigratórios e não o desejo do cliente, que já foi iludido pelos facilitadores de vistos. Não deixe que os vendedores de vistos estraguem o futuro da sua família nos Estados Unidos.

O que está na “moda”, no momento, são os vendedores de visto EB2 NIW, que dispensa empregador, por ser uma categoria de interesse nacional. É uma máquina de desinformação, que atrai pessoas pela facilidade, mas, por consequência, arruina o sonho de centenas de famílias, que são obrigadas a ir embora, quando o visto é negado.

Perdem tempo, dinheiro e os sonhos. Você mesmo pode pesquisar no site https://www.floridabar.org/directories/find-mbr/, se quem está o orientando para a imigração tem licença para tal. Quem tem bacharelado em Direito no Brasil, ou mesmo advogados brasileiros, não podem fazer a orientação imigratória nos Estados Unidos. É o meu caso! Eu não sou um advogado de imigração, mas sim administrador de um escritório de advogados, que operam na área do Direito Imigratório e Tributário há mais de 40 anos, aqui, em Miami. São eles, em cada área específica, que orientam nossos clientes. Eu coordeno a parte de negócios do escritório, com tais assuntos que a minha experiência empreendedora e formação acadêmica me permitem atuar.

Ouvimos, todos os dias, histórias de pessoas, que foram iludidas e entraram em caminhos errados, como por exemplo, fazer o ITIN ou seja, Número de Identificação de Contribuinte Individual, que é um número de processamento de imposto emitido pelo Internal Revenue Service (IRS), departamento de imposto de renda dos EUA.  ITIN é um número que prejudica, no momento da sua aprovação para o Greencard, porque evidencia que a pessoa trabalhou nos Estados Unidos, sem a permissão de trabalho. É um grande erro, pois, ainda que essa pessoa esteja produzindo algo aqui na América, ela pode declarar essa receita através da sua empresa.

No entanto, contadores, sem experiência, e, na maioria das vezes, sem formação adequada, viralizam esse tipo de procedimento, criando um dos maiores inimigos dos processos imigratórios. Ratifico, que ninguém pode trabalhar sem permissão de trabalho, mas podem ser donos ou sócios de empresas, e, essas sim, podem produzir e pagar seus devidos impostos.

Um dos pontos que destaco na minha atividade é mostrar para as pessoas que todos são bem-vindos aos Estados Unidos. A América é formada por imigrantes e os líderes desse país entendem que imigrantes são pessoas desenvolvidas acima da média, que saíram da sua zona de conforto para um novo desafio, e a consequência é a criação de riquezas, que engrandecem suas famílias e também a América.

Eu procuro mostrar, para quem já está aqui, sejam eles com visto de turista, estudante, ou outra forma, que ingressar em um processo imigratório adequado, pode ser o caminho mais seguro e econômico para se legalizar para sempre. O valor da mensalidade escolar, para manter um visto de estudante, numa média de dois anos, é o mesmo que o investimento em um processo para  obter o Greencard. Imagina que oportunidade! E, pasmem, a maioria não sabe, ou não se dá conta disso.

O caso é que, seja, aqui nos Estados Unidos, e também em outras partes do mundo, sempre haverá alguém usando a desinformação como arma para manter alienados. Talvez ninguém, mais do que nós brasileiros, sabemos como isso funciona, para manter poucos em ascensão e as massas carentes. É a grande ferramenta do sistema político brasileiro e, aqui na Flórida, brasileiros com essa mesma mentalidade, mantém os imigrantes como seus reféns.

Para acelerar e difundir a informação correta aos imigrantes, eu e Melina Wiebusch operamos, de forma paralela às nossas atividades, eu administrador e ela consultora financeira, uma organização sem fins lucrativos, que atende diariamente brasileiros, que desejam investir e migrar para os Estados Unidos.

Cada família atendida pela USA Global Institute é uma vitória, no sentido de oportunizar o conhecimento às pessoas, gerando segurança e economia. Nós transformamos a desinformação em oportunidades!

*Os artigos assinados não refletem necessariamente a opinião da Florida Review Magazine

**Se você deseja enviar artigos para a nossa newsletter, ela é gratuita. Você pode enviar um email para editor@floridareview.com


Disinformation and Opportunity

By Evandro Fascina

evandro@kravitzlaw.com

www.usaglobalinstitute.com

The characteristic that surprises me most in the interviews with our clients is the amount of distorted information, already absorbed by them, through social media, and others, who heard that it worked for an acquaintance of the friend. It is a true says that he told me, combined with a flood of erroneous information from the internet, in order to “sell” visas, but with consequences that can be disastrous.

It is important to clarify that only lawyers licensed by the American BAR Association (equivalent to the Brazilian Bar Association – OAB), who must define the strategy of immigration claims and not the client’s desire, which has already been duped by visa facilitators. Don’t let visa vendors spoil your family’s future in the United States.

What is in fashion at the moment are the sellers of EB2 NIW visa, which dismisses an employer, as it is a category of national interest. It is a machine of disinformation, which attracts people because of the ease, but, as a result, it ruins the dream of hundreds of families, who are forced to leave when the visa is denied.

They waste time, money and dreams. You can even search on the website https://www.floridabar.org/directories/find-mbr/, if those who are guiding you to immigration have a license to do so. Those who have a law degree in Brazil, or even Brazilian lawyers, cannot do immigration guidance in the United States. It’s my case! I am not an immigration lawyer, but an administrator of a law firm, which has been operating in the area of ​​Immigration and Tax Law for over 40 years, here in Miami. They, in each specific area, guide our customers. I coordinate the business part of the office, with such subjects that my entrepreneurial experience and academic training allow me to act.

We hear, every day, stories of people, who were deluded and went in the wrong ways, such as doing the ITIN, that is, Individual Taxpayer Identification Number, which is a tax processing number issued by the Internal Revenue Service ( IRS), US income tax department. ITIN is a number that affects, at the time of its approval for the Greencard, because it shows that the person worked in the United States, without the work permit. It is a big mistake, because even if that person is producing something here in America, he can declare that revenue through his company.

However, accountants, with no experience, and, most of the time, without proper training, go viral with this type of procedure, creating one of the biggest enemies of immigration processes. I confirm that no one can work without a work permit, but they can be owners or partners of companies, and, yes, they can produce and pay their taxes.

One of the points that I highlight in my activity is to show people that everyone is welcome to the United States. America is made up of immigrants and the leaders of that country understand that immigrants are above average developed people, who have left their comfort zone for a new challenge, and the consequence is the creation of wealth, which magnifies their families and also America .

I try to show, to those who are already here, whether they are on a tourist visa, student, or otherwise, that entering into an appropriate immigration process, can be the safest and most economical way to legalize forever. The tuition fee, to maintain a student visa, for an average of two years, is the same as the investment in a process to obtain the Greencard. Imagine what an opportunity! And, amazingly, most do not know, or do not realize it.

The point is that, be it, here in the United States, and also in other parts of the world, there will always be someone using disinformation as a weapon to keep alienated. Perhaps no one, more than us Brazilians, knows how it works, to keep a few on the rise and the needy masses. It is the great tool of the Brazilian political system and, here in Florida, Brazilians with the same mentality, keep immigrants as hostages.

In order to speed up and disseminate the correct information to immigrants, Melina Wiebusch and I operate, in parallel to our activities, I an administrator and her financial consultant, a non-profit organization that serves Brazilians daily, who want to invest and migrate to the United States.

Each family served by the USA Global Institute is a victory, in the sense of providing knowledge to people, generating security and savings. We turn disinformation into opportunities!

* Signed articles do not necessarily reflect the opinion of Florida Review Magazine

** If you want to send articles to our newsletter, it is free. You can send an email to editor@floridareview.com

Comment here

X